E agora?

Há tempos venho pensando em escrever um texto em português. Chegou a hora:


Agora que o blog está censurado, esse espaço volta a ser principalmente meu e o filtro, portanto, menos rigoroso.


Sempre escrevi para organizar a mente, desabafar em silencio e/ou aliviar a dor. As vezes uso humor para distrair, mas se tem algo escrito - pode ter certeza - tinha algo dolorido ou mal resolvido.


Hoje a dor é no ego. Um ego que achou que ia passar o dia se divertindo correndo pelos bosques, mas que terminou completamente desolado e desorientado porque a mente não deu trela até nos convencer de que a gente não merecia se divertir: era, por mais que eu soubesse que ganhar estava fora do meu alcance, ganhar ou parar.


Em tempos de Corona eu cheguei a achar que havia superado os traumas que o esporte de alto nível me causaram, mas hoje ficou comprovado que não:

aparentemente ainda não aprendi a lidar com o fato de que outras pessoas podem largar ao meu lado sem que eu precise estabelecer metas ousadas para mim mesma.


Triste e furiosa, escrevo.

Buscando respostas, só encontro mais perguntas: "e agora?" é apenas uma delas...

Recent Posts

See All

35

Elke 12 juni is voor mij mijmerend. Misschien is dát wat verjaardagen bij mensen doen?! In de afgelopen 35 jaar heb ik het weinig gedaan van wat van mij verwacht werd: ik ben wel naar school geweest,

Ik vertrok

Ik was er niet helemaal klaar voor, maar ik was klaar met het wachten. Na het verkopen van (bijna) alle mijn bezittingen, sloot ik precies 5 jaar geleden de deur van mijn appartement in São Paulo voor